JULHO 19

As colheitas de cana-de-açúcar, café, citros e muitas outras frutíferas avançam nas regiões produtoras enquanto o frio e a estação seca preparam as plantas para as novas floradas e futuras produções.

 
 ENTREGA PRÊMIO
 Busca
 
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo
(ra)
:: Plantio Direto - Inovações Técnicas
Márcio Scaléa - Engenheiro agrônomo da Monsanto
Braquiária: fonte de benefícios

O Sistema Santa Fé, com milho + braquiária, oferece um grande número de possibilidades no plantio direto, mas a semeadura de braquiárias após a cultura da soja, ou logo antes da sua colheita, na operação conhecida como sobressemeadura, permite oportunidades ainda maiores.

Pela simplicidade, baixo custo e rapidez, a semeadura de braquiárias após a colheita da soja deverá ser, num futuro bem próximo, uma operação consagrada à produção de boas palhadas em quase todas as regiões do Cerrado.

O grande gargalo, que era como incorporar as sementes sem usar uma grade, já foi solucionado com o uso do correntão, como foi dito acima. Por outro lado, a sobressemeadura de ruziziensis no momento em que a soja começa a "lourar" promete ser outra revolução, já que essa espécie consegue se estabelecer mesmo com as sementes na superfície.

A palhada de excelente qualidade, o hábito de vegetar, mesmo em plena estação seca com um mínimo de umidade, a reciclagem de nutrientes, o efeito supressivo para inóculos de muitas doenças, a supressão de outras plantas daninhas, tudo isso nos leva a crer do grande potencial das braquiárias como produtoras de palhada para o Plantio Direto.

Sorgos híbridos para produção de massa

Talvez esta seja a inovação mais recente, embora extremamente promissora. Ela se aplica não só ao Cerrado, mas a muitas outras regiões como parte do Paraná e de São Paulo, onde a temperatura limita o estabelecimento da cultura da aveia, por exemplo.

Os híbridos de sorgo (var.EXP004) trazem a vantagem de sua grande precocidade, aliada à rusticidade e resistência à seca, possibilitando a produção de excelentes palhadas em menos de 30 dias. É um desempenho marcante, pois o milheto, que domina este segmento, até os 30 dias é muito lento em seu desenvolvimento e mormente, se houver alguma limitação de temperatura.

O plantio das sementes do sorgo "no pó", já no fim da estação seca seria uma recomendação muito interessante, pois permitiria em poucos dias a dessecação e o plantio com boa palhada.

Fonte: Artigo publicado originalmente na Revista Plantio Direto nº 83 de setembro/outubro - 2004

(ra)
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo

Conveniada: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz - FEALQ 
Contato: agrisus@agrisus.org.br e agrisus@fealq.org.br