MARÇO 2019

Colheita da soja avança para o final e milho segunda safra consolida plantio. Chuvas e calor recuperam desempenho de cultivos perenes.

 
 CARTILHA SPD
 Busca
 
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo
(ra)
:: Suplemento protêico nas águas
Fernando Penteado Cardoso - Eng. Agr. Sênior, produtor e presidente da "Fundação Agrisus - Agricultura Sustentável".
Durante o verão/outono de 1997/98 realizamos na Faz.Mundo Novo-Brotas/SP, um experimento de suplementação protéica nas águas, cujos resultados positivos vinham sendo relatados pela equipe de vendas de Manafós. O trabalho foi executado pelos engenheiros agrônomos Eduardo Penteado Cardoso e Mario Pedro Seber.

Em dois pastos contíguos de 10 ha cada um, em terra arenosa fraca de cerrado parcialmente melhorada, de B.decumbens adubada com 100 kg N/ ha, foram colocados em Novembro de 97 dois lotes de novilhas Nelore-LB de 10 meses.

O lote "A" recebeu suplemento mineral completo (Mfós-90) e ao lote "B" foi oferecido suplemento protéico/mineral (Mfós-Eng.). As pesagens foram mensais, trocando-se de pasto periodicamente para minimizar os efeitos ambientais.

Os dados de instalação e os resultados ao final de 227 dias, de 7 Nov. a 22 Jun., foram os seguintes, com médias seguidas do desvio padrão:

..............................................................A ................................B
Número de cabeças ........................33 ...............................34
Idade média-dias............................318+ 3,1%...................319+ 2,6%
Peso médio inicial, kg...................183,6+ 14,3% .............174,9+ 10,7%
Lotação inicial, UA/ha.........................1,35.............................1,32........................> =
Peso médio final,kg......................290,6+ 9,9%................305,8+ 9,4%............> +5,2%
Lotação final, UA/ha...........................2,28.............................2,45......................> +7,5%
GMD- ganho médio/dia, g.............472+ 11,9%..................576+ 10,7% ...........> +22%
GP/ha- ganho de peso/ha, kg......353,3 ...........................444,9.......................> +26%
Consumo diário supl., g/d.............63.................................61

Uma apreciação do GMD subdivido em classes, com o número de ocorrências para cada intervalo, mostra que no lote "A" a maior freqüência está entre 450/550 g/d com 19 cabeças, enquanto que no lote "B" o maior número está entre 550/650 g/d. com 23 rezes. Foram calculadas as correlações entre três itens e o ganho de peso: 1) idade e GMD: levemente negativa (-0,19 e -0,14), 2) peso inicial e GMD: levemente positiva (+0,20 e +0,15), 3) peso final e GMD: bastante positiva (+0,67 e +0,70).

As análises agrostológicas (planta inteira) feitas em fins de Maio indicaram para os dois pastos: proteína bruta-PB: 5,09 e 6,13%, com digestibilidade da MS "in vitro" de 37,2 e 41,3%. O estoque final de MS foi de 2.955 e 3.160 kg/ha. Um terceiro pasto, não adubado com N, apresentou PB de 3,37%.

No decorrer do período foram efetuadas 402 pesagens dos animais, 65 medições semanais do consumo de suplemento e 28 aferições de massa, verde e seca ao sol, de 14 amostras do volume contido em 0,25m2 coletadas e em variados locais sorteados ao acaso.

Conclusão- Embora a análise da "planta inteira" não revele o que os animais efetivamente ingerem através do pastoreio seletivo,-escolhendo o que mais lhes apetece-, os resultados sugerem que, mesmo nos meses de vegetação intensa da B.decumbens, as rezes em fase de crescimento não conseguem satisfazer suas necessidades de proteína, podendo vir a se beneficiar da suplementação de compostos nitrogenados sob a forma de uréia.

Composição 1997:
Manafós- 90: P-9%, Ca-15%,+ micros (NaCl-27%).
Manafós-Eng: PB-41%, P-3,2%, Ca-5,7%,+ micros (NaCl-15%, Uréia-13%)
(ra)
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo

Conveniada: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz - FEALQ 
Contato: agrisus@agrisus.org.br e agrisus@fealq.org.br