NOVEMBRO 2017-Chuvas pesadas R1 e R2 , com fortes erosões em solos mal protegidos por palha. Falta de chuva R3 e R4, retardaram plantio de soja, comprometendo a 2ª safra. Pegamento incerto floradas de café e citros. Seca favoreceu praga bicudo na cana.
 
 LIVRO ESALQ
 Busca
 
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo
(mla)
:: EFFECTS OF SURFACE-APPLIED AND SOIL-INCORPORATED TIME ON SOME PHYSICAL ATTRIBUTES OF A DYSTRUDEPT SOIL
A. C. AULER , L. F. PIRES , J. A. B. DOS SANTOS, E. F. CAIRES, J. A. R. BORGES e N. F. B. GIAROLA
Na região Centro-Sul do Estado do Paraná predominam sistemas de produção em agricultura familiar. No entanto, em função de sua gênese, os solos desta região apresentam elevada acidez, o que restringe a produção agrícola. Neste contexto, a calagem deveria ser empregada nos solos das propriedades rurais desta região. Todavia, os agricultores alegam que a aplicação de calcário “empedra o solo”, dificultando o preparo para a semeadura. Este é um dos principais motivos que leva os agricultores desta região a não realizarem a correção da acidez do solo.

Também é válido ressaltar que muitos agricultores dessa região utilizam o sistema convencional de preparo do solo, caracterizado pelo intenso revolvimento, o que torna o solo mais suscetível à degradação. Desse modo, ainda se fazem necessários estudos sobre o manejo do solo na agricultura familiar, principalmente tendo em vista seus impactos sobre a estrutura do meio poroso.

A partir do conhecimento empírico dos agricultores sobre os efeitos da aplicação de calcário na estrutura do solo, decidiu-se realizar um estudo sobre a qualidade estrutural e a dinâmica da resistência à penetração do solo em função da correção da acidez e modos de aplicação do calcário ao solo, visto que a incorporação com o revolvimento do solo é uma prática comumente empregada na região quando se realiza a calagem.

Para isso, instalou-se um experimento em uma propriedade rural, sobre um CAMBISSOLO HÁPLICO Alumínico, com elevada acidez. O trabalho possuía quatro doses de calcário (0 e 15 e Mg/ha - visando elevar a V% a 70%) e três modos de aplicação do corretivo (na superfície do solo, incorporado com aração e gradagem e incorporado com subsolagem e gradagem).

Como principais conclusões, verificou-se que o modo de aplicação do calcário influencia a maneira como a calagem atua sobre os atributos físicos do solo. Aos 18 meses após a aplicação do calcário na superfície, os efeitos da calagem são mais pronunciados na camada de 0-0.10 m do solo, ocorrendo redução na densidade do solo, na macroporosidade e na porosidade de aeração e aumento na porosidade total, na microporosidade e na retenção de água no solo.

Essas alterações são mediadas, principalmente, pela redução no pH do solo, pela precipitação do Al3+ na solução do solo e pela substituição deste íon no complexo de troca pelos íons Ca2+ e Mg2+.

Para ler a íntegra do artigo clique aqui









(mla)
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo

Conveniada: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz - FEALQ 
Contato: agrisus@agrisus.org.br e agrisus@fealq.org.br