AGOSTO 2017

Colheita 2ª safra terminada, continuando as de café, cana e frutas. Clima seco de julho favoreceu as várias operações da safrinha recorde. Pastagens secando sem chuvas preservando alguma qualidade. Produtores preparando próximo plantio.

 
 ABAG 2017
 Busca
 
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo
(mla)
:: EFFECTS OF SURFACE-APPLIED AND SOIL-INCORPORATED TIME ON SOME PHYSICAL ATTRIBUTES OF A DYSTRUDEPT SOIL
A. C. AULER , L. F. PIRES , J. A. B. DOS SANTOS, E. F. CAIRES, J. A. R. BORGES e N. F. B. GIAROLA
Na região Centro-Sul do Estado do Paraná predominam sistemas de produção em agricultura familiar. No entanto, em função de sua gênese, os solos desta região apresentam elevada acidez, o que restringe a produção agrícola. Neste contexto, a calagem deveria ser empregada nos solos das propriedades rurais desta região. Todavia, os agricultores alegam que a aplicação de calcário “empedra o solo”, dificultando o preparo para a semeadura. Este é um dos principais motivos que leva os agricultores desta região a não realizarem a correção da acidez do solo.

Também é válido ressaltar que muitos agricultores dessa região utilizam o sistema convencional de preparo do solo, caracterizado pelo intenso revolvimento, o que torna o solo mais suscetível à degradação. Desse modo, ainda se fazem necessários estudos sobre o manejo do solo na agricultura familiar, principalmente tendo em vista seus impactos sobre a estrutura do meio poroso.

A partir do conhecimento empírico dos agricultores sobre os efeitos da aplicação de calcário na estrutura do solo, decidiu-se realizar um estudo sobre a qualidade estrutural e a dinâmica da resistência à penetração do solo em função da correção da acidez e modos de aplicação do calcário ao solo, visto que a incorporação com o revolvimento do solo é uma prática comumente empregada na região quando se realiza a calagem.

Para isso, instalou-se um experimento em uma propriedade rural, sobre um CAMBISSOLO HÁPLICO Alumínico, com elevada acidez. O trabalho possuía quatro doses de calcário (0 e 15 e Mg/ha - visando elevar a V% a 70%) e três modos de aplicação do corretivo (na superfície do solo, incorporado com aração e gradagem e incorporado com subsolagem e gradagem).

Como principais conclusões, verificou-se que o modo de aplicação do calcário influencia a maneira como a calagem atua sobre os atributos físicos do solo. Aos 18 meses após a aplicação do calcário na superfície, os efeitos da calagem são mais pronunciados na camada de 0-0.10 m do solo, ocorrendo redução na densidade do solo, na macroporosidade e na porosidade de aeração e aumento na porosidade total, na microporosidade e na retenção de água no solo.

Essas alterações são mediadas, principalmente, pela redução no pH do solo, pela precipitação do Al3+ na solução do solo e pela substituição deste íon no complexo de troca pelos íons Ca2+ e Mg2+.

Para ler a íntegra do artigo clique aqui









(mla)
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo

Conveniada: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz - FEALQ 
Contato: agrisus@agrisus.org.br e agrisus@fealq.org.br