JUNHO 19

Mês frio das tradicionais festas juninas, este ano deve ter calor acima da media em grande parte do país. Produtividades de plantas de inverno afetadas de forma imprevisível.

 
 ENTREGA PRÊMIO
 Busca
 
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo
(fc)
:: A SEGURANÇA ALIMENTAR DO MUNDO
Fernando Penteado Cardoso - A SEGURANÇA ALIMENTAR DO MUNDO - agrisus@agrisus.org.br
A SEGURANÇA ALIMENTAR DO MUNDO

Fernando Penteado Cardoso

A Reunião de Cúpula realizada em Roma no inicio de junho último sob o tema geral “Segurança Alimentar do Mundo: os Desafios da Mudança Climática e da Bio-energia”, baseou-se em um conjunto de estudos preliminares sobre matéria correlata, reunidos em um Relatório Base intitulado “Preços dos Alimentos em Elevação: Fatos, Perspectivas, Impactos e Ações Requeridas.”

O Relatório preocupa-se principalmente com as populosas nações asiáticas e com os aglomerados subnutridos da África. As recomendações principais se concentram no aumento da produtividade através da adoção de melhor tecnologia e no acréscimo de produção a nível familiar, principalmente nos agrupamentos empobrecidos e subalimentados.

Não foi relatada qualquer referência ao aumento da produção a nível mundial por paises com grande potencial agrícola como é o caso do Brasil. O Relatório compara os preços domésticos e internacionais do trigo no Chile e na Argentina, limitando-se a citar o Brasil em breves comentários não condenatórios sobre etanol (1), sem qualquer menção à floresta e à Amazônia. Inexplicavelmente, nenhuma palavra sobre nossa atual participação no suprimento mundial de soja, açúcar, milho, laticínios, suco de laranja e carnes.

Dia virá em que o Brasil será convocado para elevar sua produção de grãos e de alimentos em geral, capitalizando sua vasta extensão territorial sob clima de luz, calor e chuva. Certamente vamos participar também do mercado de etanol, menos como combustível alternativo dos líquidos fósseis, antes para substituir aditivos químicos reguladores da octanagem, cujos gases da combustão são considerados cancerígenos.

Se enxergamos um futuro de alta responsabilidade ao participar do esforço de alimentar a humanidade de 8 bilhões de habitantes dentro de alguns anos, urge que nos preparemos para que a inevitável expansão de nossa agro-pecuária se faça de maneira eficiente e sustentável. Eficiente ao adotar a melhor tecnologia, sustentável ao preservar a estabilidade e a continuidade da produção.

Nessa linha de pensamento vem atuando a Fundação Agrisus ao se preocupar em pesquisar o presente, detectando as dificuldades e restrições e, assim, ter condições de colaborar para a solução de problemas, gerando e tecnologias para superar essas dificuldades e restrições dentro de sua área de ação.

(fc)
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo

Conveniada: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz - FEALQ 
Contato: agrisus@agrisus.org.br e agrisus@fealq.org.br