JUNHO 19

Mês frio das tradicionais festas juninas, este ano deve ter calor acima da media em grande parte do país. Produtividades de plantas de inverno afetadas de forma imprevisível.

 
 ENTREGA PRÊMIO
 Busca
 
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo
(mla)
:: ESTADO DA ARTE DO PLANTIO DIRETO 2011
Fernando Penteado Cardoso - www.agrisus.org.br
O sistema de plantio direto apóia-se em manter o solo imperturbado recoberto de resíduos. A segunda condição, relacionada à cobertura e proteção do solo, é a principal, a qual revela-se mais difícil de praticar.

Os valores divulgados pelo relatório do Rally da Safra 2011-Plantio Direto podem ser analisados em conjunto com os dados dos anos anteriores, viabilizando o cálculo da média de 5 anos, assim atenuando as variações decorrentes de locais não repetidos.

Para ver o quadro das amostras dos resíduos nos últimos cinco anos nas diferentes regiões clique aqui

A presença de erosão, ainda que pequena, está relacionada ao relevo mais acidentado na regiões 1 e 2, justificando especial empenho para sanar essa dificuldade, muitas vezes causada por escorrimentos vindos de caminhos.

Os levantamentos vêm analisando o tipo de resíduo encontrado, identificando suas origens. No ano de 2011, a dita “palha” permite as seguintes observações em porcentagem dos sítios observados:

R-1: Trigo 66%, aveia 6%, milho de verão 10%, diversos 12% e sem resíduo 6%, evidenciando que dois terços das áreas são ocupadas com a 2ª. cultura e que a rotação com milho de verão alcança cerca de um décimo.

R-2: Predomina o resíduo de milho com 50% provindo de 1ª. e de 2ª planta. Trigo e aveia somam 29%, diversos 12% e 9% sem resíduo. Ao que tudo indica, as ditas safrinhas são plantadas após a quase totalidade das plantações de verão.

R-3: Os resíduos provêm do milho 2ª. planta 56%, do milheto 20%, de diversos 9% e sem resíduo 15%. Predomina o milho em 2ª. planta e as porcentagens informam que as safrinhas ocupam cerca de 60% das terras, faltando tempo para plantar toda a área.

R-4: O restolho de milho de verão alcança a 15% e de sorgo 3% indicando rotação de cultura e o milheto 15%, semeado provavelmente após soja precoce. Os resíduos de capim foram encontrados apenas em 1% dos locais, indicando que o sobre-semeio na soja e a consorciação no milho ainda são incipientes embora com grande possibilidade.

Os levantamentos do “Estado da Arte do PD” promovidos e financiados pela Agrisus e executados pelos projetos Rally da Safra da Agroconsult, permitem avaliar até onde chegamos com a prática dessa extraordinária tecnologia que é o Plantio Direto na Palha. Esse conhecimento serve de orientação para os programas de pesquisa e de extensão dos órgãos especializados, sejam públicos ou privados.

Agora sabemos que urge aumentar o volume de resíduos- seja das palhas - que ficam após colheita ou que são produzidos com essa finalidade.

A proteção do solo com resíduos é tão importante para a agricultura conservacionista que pode vir a justificar trabalho de melhoramento genético- seja tradicional seja de transgenia- orientados no sentido de obter resistências fitossanitárias e de arquitetura além de alta produção de cultivares que, ao mesmo tempo, produzam bastante fitomassa residual.

SP,11.6.8

ftp://ftp.agrisus.org.br/Web/arquivos/tabela_para_artigo_dr_Fernado.BMP

(mla)
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo

Conveniada: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz - FEALQ 
Contato: agrisus@agrisus.org.br e agrisus@fealq.org.br