Novembro

A técnica do plantio direto bem feito mostra ao agricultor o caminho para superação da grave crise hídrica dos últimos tempos e amplia a sustentabilidade do negócio.

 
 PRÊMIO ABAG 2019
 Busca
 
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo
(mla)
:: CIRCULAR-09/2004
Em 2003 fizemos uma apresentação em Havana-Cuba no Seminário da RELACO. Em janeiro deste ano, em companhia do Dr. Norman Borlaug visitamos em Maracajú/MS o Sr. Ake van der Vinne que há muitos anos vem aperfeiçoando a rotação soja/pasto.


No Projeto Rally da Safra 2004, com apoio da Agrisus, foram levantados os principais procedimentos na quatro regiões climáticas do País. Outro Projeto de nosso patrocínio levou avante pesquisa sobre várias combinações de gramíneas após soja, em Santo Inácio/PR, local em que o signatário teve oportunidade de fazer palestra sobre a relação entre plantio direto e pecuária.

A escassez de forragem durante a seca é o maior problema da nossa pecuária de corte. Produzir pasto de boa qualidade na estiagem terá um alcance inestimável para consolidar e expandir a exportação de produtos animais, após manter os mercados domésticos bem abastecidos!

O costume de soltar o gado na “palhada de milho” ou no “pasto após arroz no RS” são procedimentos tradicionais. Eles vêm se aperfeiçoando com o plantio deliberado de gramíneas na fase final ou logo após as culturas de verão, proporcionando bom pastoreio durante a estiagem, o que se poderia chamar de “safrinha forrageira”.

Nas regiões de estação chuvosa mais curta (BA,MA,PI), o sobre-semeio de gramíneas na soja é a melhor solução para palha ou pasto, porém, o sistema apresenta ainda dificuldades de germinação e de equipamento para semeação a lanço.  As pesquisas sobre escarificação e recobrimento das sementes e o desenvolvimento de implementos adequados poderão vir a resolver os atuais problemas.

Outra tecnologia relevante a pesquisar é a combinação de gramíneas adaptadas às variações de inverno nos climas de transição (PR,MS,SP), com anos mais frios, outros mais quentes, totalmente imprevisíveis.

Quanta matéria para ser estudada por nossas instituições de ensino, pesquisa, e extensão gerando bons projetos que a Agrisus poderia apoiar.

Cordialmente,

Fernando Penteado Cardoso - Presidente

Fonte:
Voltar VoltarImprimirEnviar para um amigo

Conveniada: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz - FEALQ 
Contato: agrisus@agrisus.org.br e agrisus@fealq.org.br